quinta-feira, 10 de maio de 2012

Escadas minhas


    Temo cair na redundância da rotina produtiva, criar o que já criei por outras palavras moldadas de acordo com a cor do meu espírito na altura, mas se penso para evitar ainda é pior é como por uma rolha de cortiça na criatividade e tudo escoa para outros lugares que não minha mente ou meus dedos,
    
    - Led Zeppelin anda cá por favor, olha-me para isto, estás a ver bem?,
    - ?,
    - não limpaste bem isto estas escadas estão imundas, é para isto que te pago?,
    - ?,
    - larga a merda da guitarra e vai buscar a esfregona, achas que a pessoas que entram no céu querem ver baratas mortas e percevejos que caem dos bolsos de quem já entrou.
    -?, - (leio confusão tácita mas ignoro),
    - ninguém quer ir para o céu e no caminho ser relembrado dos esqueletos que ainda dançam nos armários da existência terrena,
    -?,
    - ninguém quer ser relembrado que um insecto morto é mais nobre do que o seu eu,
    -?,
    - pára lá de brincar com isso e vai buscar as coisas, vá, é para isso que te pago, quero esta escadaria para o céu a brilhar, mais limpinho que o vestido do JC, estás a ver?
    - ... – (presumo que anuiu)

 
    Lá em baixo, nas planícies que antecipam a elevação das estepes que dão guarida a esta escadaria milhares de milhões contorcem-se em batalhas físicas aguerridas para conquistarem o seu espaço na fila, aguardam em antecipação, má língua é cultivada enquanto segredos são contados para lugares serem ganhos, enquanto cheques dançam e tilintam de somas estonteantes para se ser o primeiro. Pessoas de todas as coras, raças ou credos choram lágrimas imundas para marcharem mais um metro em direcção ao farol que lhes comanda a alma, em direcção ao sitio onde tudo fará sentido, burguesias e homens santos dão ultimas quecas por desespero sem pensarem em quem vê, beatas procuram o homem com quem casaram para finalmente serem saciadas, homens de guerra ajoelham-se e rezam por um lugar onde podem emular seus sacrifícios, atiradores furtivos cumprimentam efusivamente homens e mulheres que abateram a centenas de metros, uns querem JC outros Maomé, outros outras coisas ou seres com nomes que não sei pronunciar, roupas são rasgadas sem pudores,
   
    - Led...,
    - ?,
    - olha para aquilo, olha o que tu fizeste, agora estão todos sujos,
    -?,
    - enfim, para Dante com tudo, saca da guitarra e vamos beber um copo, vê se me cantas aquela que fala da escadaria,
    - ?,
    - deixa lá eles que esperem, o que é que vão fazer?, matar-se outra vez?,
    -?.

 

 

 
*este texto não segue o acordo ortográfico.

Sem comentários: